(62) 3239 - 5000 / (62) 3239 - 5050

"stress"

 

Confira uma pequena entrevista sobre o tema "Stress" com um de nossos profissionais.

 

Dr Marcos Antonio Carneiro

 

 

 

IAG: Qual o maior problema de saúde dos últimos anos no seu entender?

 

Dr. Marcos: Observamos que a maioria das pessoas que nos procuram, apresentam sinais e/ ou sintomas  de “stress” , tensão. Poucos são os pacientes que apresentam doenças orgânicas.

 

IAG: Quais são os sinais e sintomas?


Dr. Marcos: Cansaço, baixa do rendimento, insônia  ou sono demasiado, obesidade, tonturas, medo de doenças de Alzheimer, redução de memória, outros sintomas neuro vegetativos, etc.

 

IAG: Porque o senhor compara o “stress” com o Alzheimer?

 

Dr. Marcos: É porque uma pessoa deslocada  – o que seria o significado da palavra “stress” que vem do inglês, tem baixo rendimento, tem dificuldade com memória e atenção o que leva a pessoa já comprometida a pensar que tem demência.

 

IAG: Como o organismo reage frente ao “stress”?

 

Dr. Marcos: Inicialmente  o problema começa na cabeça – preocupação. Daí começa haver  liberação acentuada de catecolaminas (adrenalina e noradrenalina) que agita ainda mais a pessoa:  sobe a pressão, provoca taquipsiquismo, tonturas. E por fim um dos hormônios da glândula suprarrenal –  os corticoides são incrementados na sua produção o que provoca a redução de memória. E a coisa vira um circulo vicioso.

 

IAG: O que o senhor aconselharia para controlar o “stress”?


Dr. Marcos: Prefiro dizer controlando o “stress”, mesmo porque em certas circunstâncias ele é necessário -os mecanismos de defesa fazem desperta – lo. Porem se isso ocorre com muita frequência, aí há um descontrole com danos para o organismo.
De modo geral a pessoa que tem controle alimentar que pratica atividade física e procura acalmar a sua mente tem vida saudável.

 

IAG: O que mais poderia advir do “stress”?

 

Dr. Marcos: Os hormônios relatados tem efeito em reduzir a imunidade  da pessoa. Imunidade baixa é condição fértil para o surgimento de doenças.

 

IAG: Existem medicamentos para o “stress”?


Dr. Marcos: Sim. Mas acreditamos que a pessoa tem que ter condições até para o uso dos remédios. Se não mudar seus hábitos - continuar bebendo, dormindo pouco, insistindo em resolver situações sem soluções, - dificilmente a medicação poderá ajudar.

 

IAG: Como o senhor aborda o problema?


Dr. Marcos: É muito simples, quando ele tem solução, devemos fazer de tudo para resolvê-lo. E quando o mesmo não tem solução o problema já está resolvido.

 

IAG: O que mais o senhor recomenda?

 

Dr. Marcos: Levantar-se cedo, deitar-se cedo, caminhar após o jantar e procurar ser sempre feliz. Usar o lado direito do cérebro (abstração) -  cantar, pintar, desenhar, escrever uma poesia, meditar.

Obrigado